PROF ABILIO MACHADO

O que encontrará aqui são informações são do próprio autor e outras colhidas nos jardins cósmicos e todas são identificadas.

Outros rabiscos dizem respeito a trabalhos acadêmicos, poesias, contos, historietas, peças teatrais e cada uma a espiritualidade se apresenta num relação íntima com a psicologia, a sexualidade e a arte... Vive L'art!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O Psicodrama de Jacob Levy Moreno

O PSICODRAMA DE JACOB LEVY MORENO


Trabalho apresentado a Disciplina de Epistemologia, do curso de Psicologia, 2º período, da Faculdade Evangélica do Paraná.

Profª: Orientadora: Dra. Suzana Borges




Introdução
            O presente trabalho tem por objetivo apresentar, identificar e investigas sobre o psicodrama de Jacob Levy Moreno e suas vertentes, mostrando toda a trajetória do autor bem como a sua teoria se da na pratica, trazendo situações, teorias e explicações desta abordagem segundo o pensamento de Moreno.
            Visando entender como o Psicodrama trabalha com a personalidade do indivíduo, através dos papéis descritos nesta teoria.


Biografia
Jacob Levy Moreno, o criador do Psicodrama, nasceu em 6 de maio de 1889, na cidade de Bucareste, na Romênia. Era de origem judaica (sefardim). Sua família veio da península ibérica e radicou-se na Romênia na época da Inquisição.
Aos cinco anos de idade mudou-se com a família para Viena e foi neste local que vivenciou a brincadeira de ser deus, que ele, com humor, relaciona a sua idéia de espontaneidade como centelha divina que existe em cada um de nós.
Um dos "anjos" solicitou-lhe que voasse, ele tentou atender e, naturalmente, estatelou-se no chão e fraturou o braço direito.
Até 1920, Moreno teve uma intensa vida religiosa. Fez parte de um grupo que fundou a "Religião do Encontro". Eles expressavam sua rebeldia diante dos costumes estabelecidos usando barbas, vivendo pelas ruas à maneira dos mais pobres e procurando novas formas de interação com o povo.
 Neste período, ele ia aos jardins de Viena e criava jogos de improviso com as crianças, favorecendo-lhes a espontaneidade, e participou no ano de 1914, em Amspittelberg, juntamente com um médico venereologista e um jornalista, de um trabalho com prostitutas vienenses através do qual, utilizando técnicas grupais, conscientizou-as de sua condição, o que proporcionou que organizassem uma espécie de sindicato.
Formou-se em medicina em 1917.
Fundou, em 1921, o Teatro Vienense da Espontaneidade, experiência que constituiu a base de suas idéias da Psicoterapia de Grupo e do Psicodrama.
De 1917 até 1920 colaborou com a Daimon Magazine, importante revista existencialista e expressionista, na qual colaborava também Martin Buber, Max Scheller, Jakob Wasserman, Kafka, entre outros.
Em 1925 emigrou para os EUA. Dois anos depois fez a primeira apresentação do Psicodrama fora da Europa.
Em 1931 introduziu o termo Psicoterapia de Grupo e este ficou sendo considerado o ano verdadeiro do início da Psicoterapia de Grupo científica, embora as fundamentações e experiências tenham iniciado em Viena.
Em 1941, Moreno encontrou sua companheira, Celine Zerka Toemn chegou ao consultório levando a irmã doente. Elas haviam fugido da Europa nazista, ter eles surgiu um interesse e uma simpatia mútuos e uma necessidade um do outro. Zerka logo se tornou uma colaboradora notável e insubstituível.
Em 1952 nascia o filho Jonathan, os pais decidiram cria-lo de acordo com os princípios do psicodrama e da sociometria.
Moreno morreu em Beacon, em 14 de maio de 1974, aos 85 anos de idade e pediu que em sua sepultura fossem gravadas as seguintes palavras: 

"Aqui jaz aquele que abriu as portas da Psiquiatria à alegria”.

O Psicodrama
Psicodrama pode ser definido como uma via de investigação da alma humana mediante a ação. Criada como visto anteriormente por Jacob Levy Moreno. É um método de pesquisa e intervenção nas relações interpessoais, nos grupos, entre grupos ou de uma pessoa consigo mesma. Tem sido amplamente utilizado na educação, nas empresas, nos hospitais, na clínica, nas comunidades.
 Quando as pessoas usam o termo Psicodrama, estão, geralmente, se referindo à Socionomia. Ciência das leis sociais e das relações. Que são dividas em três ramos: a Sociometria, a Sociodinâmica e a Sociatria, que guardam em comum a ação dramática como recurso para facilitar a expressão da realidade implícita nas relações interpessoais ou para a investigação e reflexão sobre determinado tema.
·         Sociometria, através do teste sociométrico, mensura as escolhas dos indivíduos e expressa-as através de gráficos representativos das relações interpessoais, possibilitando a compreensão da estrutura grupal.
·         Sociodinâmica investiga a dinâmica do grupo, as redes de vínculos entre os componentes dos grupos.
·         Sociatria propõe-se à transformação social, à terapia da sociedade.
  A transformação social e o trabalho com a comunidade, era o grande sonho de Moreno. A filosofia do momento, que embasa a teoria e a prática psicodramática, foi sendo configurada através de sua observação do potencial criativo do ser humano.
Desde então, o Psicodrama vem se transformando, desenvolvendo-se como teoria e como prática. Trazendo novas contribuições para a teoria psicodramática do desenvolvimento emocional e para a compreensão da psicopatologia, assim como para a configuração de modelos referenciais na compreensão da experiência emocional humana e dos grupos. Sendo assim, mais comum para, a expressão dos impedimentos e conflitos envolve tensão, agressividade e, principalmente, o reconhecimento e acolhimento da dor psíquica. A prática psicodramática, em suas inúmeras modalidades, começa pelo envolvimento das pessoas com o tema ou com a experiência a ser vivenciada, através de lembranças ou histórias do cotidiano dos indivíduos ou das organizações.
Na última década, testemunhamos um resgate das origens do Psicodrama no teatro e no social, com inúmeras contribuições para a metodologia psicodramática, expandindo suas fronteiras, ampliando a diversidade de experiências de intervenção psicossocial. A idéia do psicodrama é facilitar as manifestações das idéias, dos conflitos sobre um tema, dos dilemas morais, impedimentos e possibilidades de expressão em determinada situação.
Finalizando com os comentários, inicialmente dos participantes da cena e depois do grande grupo, com a identificação da realidade que acaba de ser vivenciada e com o levantamento de soluções possíveis para as questões abordadas. 
 O objetivo principal da ação dramática é favorecer aos membros do grupo a descoberta da riqueza inerente em vivenciar plenamente o status nascendi da experiência grupal. 
 Os psicodramatistas podem ser: médicos, psicólogos, pedagogos, fonoaudiólogos, profissionais de RH, todas as pessoas que em seu exercício profissional trabalham com grupos.

Moreno e o Psicodrama
Referente ao surgimento do Psicodrama de Moreno, ele conta que aos quatro anos e meio organizou uma brincadeira com algumas crianças no porão da sua casa, empilhando cadeiras sobre uma mesa, até o teto, para brincar de ser Deus: seus amigos faziam o papel de anjos, que o incentivavam para que ele voasse até o chão, ação dramática que foi facilmente assumida embalada pelo sonho de ser Deus.
O resultado imediato foi uma fratura no braço esquerdo. Essa experiência psicodramática é sentida pelo autor como uma Cena precursora da criança e o do Psicodrama.
Moreno ao mesmo tempo em que dirige a cena, transforma-se em autor e ator do drama, ou seja, seu público compartilha e estimula o protagonista à ação.
A experiência marca e a idéia germina na adolescência de Moreno. Durante a adolescência (1908-1911), Moreno apaixona-se pelo teatro, pela filosofia e Por trabalhos comunitários de recreação. Começa a ler Rousseau, Pestallozi, Froebel e gosta do contato com pequenos grupos de crianças, nos jardins de Viena, onde propõe e improvisa brincadeiras, distribuindo-lhes papéis.
A experiência oferece-lhe estímulos para que realize em 1911, no Kindergarden, um Teatro de Crianças sua primeira sessão de Teatro Espontâneo, ainda como estudante.
 De 1915 a 1917 Moreno realiza um outro trabalho de grupo, com soldados tiroleses, refugiados em Viena.  Após este trabalho começa a formar  algumas idéias a respeito das estruturas grupais e do efeito terapêutico do grupo sobre o indivíduo.
Em 1920, Moreno publicou o seu primeiro livro “Das Testamentdes Vaters” e depois, realizou o seu 1º Ato Público Psicodramático, no dia 1 de abril de 1921, dia dos loucos, na Áustria, dia da mentira, para nós.
Tomemos, então,o período de 1922-1924 como o de nascimento do Psicodrama, na mesma Viane de Freud e em pleno auge da psicanálise. Com certeza não era este o contexto histórico e cultural propicio a Moreno e ao desenvolvimento do Psicodrama.
A partir de 1934 torna-se cidadão americano e, em 1936, abre um hospital psiquiátrico em Bacon, realizando trabalhos com psicóticos em comunidade terapêutica. Juntamente com o hospital passa a funcionar também em 1941, o instituto de Psicodrama de New York, dedicando-se então a transmissão do seu conhecimento adquirido ao longo do desenvolvimento da sua teoria, autorizando seus alunos a proceder a formação de outros em seus respectivos países. Funda também, a Associação Americana de Sociometria e de torna membro da Associação Americana de Psiquiatria.
A partir de 1946, o Psicodrama começa a expandir-se na França, através do centro Claude Bernard. Em 1994 Moreno faz sua primeira demonstração de  Psicodrama em publico na França, e foi em 1962 que o Psicodrama chega ao Brasil através de Pierre Weil.
A Aplicabilidade do Psicodrama

Trabalho social com presidiários

Na esfera social, surpreende o trabalho que tem sido feito nas prisões , tendo-se em vista a ressocialização do preso, o resgate de seu eu como pessoa, com revelações do tipo "eu não conseguia mais sentir nada", que nos emocionam e nos indicam a credibilidade do caminho
O trabalho psicodramático também tem ajudado as mães de presidiários a superar a dor da diferença e do preconceito, a aceitar as consequências de se ter um filho preso e a vencer com equilíbrio essa etapa, afastando a depressão.

Psicodrama em NAPS (Núcleo de Atenção Psicossocial)

É a nova proposta inserida na reforma antimanicomial, vivenciada no Brasil em saúde pública. Tem por finalidade atender pacientes mentais em equipe multidisciplinar, com proposta de semi-internato, junto ao "hospital-dia", como sistema ambulatorial.
Os grupos de psicodrama permitem um espaço de expressão do sofrimento causado pelas psicoses e consequente aceitação de si próprio pelo grupo e pela comunidade.

Educação

No ensino fundamental o Psicodrama tem sido utilizado para identificar razões e graus de agressividade presentes no grupo, além de revelar a capacidade de se lidar com realidade e fantasia.
Os professores de educação infantil têm sido trabalhados através do teatro e técnicas psicodramáticas objetivando a ampliação e enriquecimento das possibilidades metodológicas do ensino, da expressão e comunicação, desenvolvimento da criatividade e humanização da relação professor/aluno.
Na escola , em encontros bimestrais de pais , a metodologia psicodramática tem ajudado a intensificar a relação escola/família e, em reuniões pedagógicas mensais com os professores, tem aperfeiçoado a atuação e qualificação de profissionais através do treino de papéis.

Clínica

Na clínica individual o psicodrama clássico deu origem à Psicoterapia da Relação e ao Psicodrama Interno . A Psicoterapia da Relação tornou as técnicas mais ágeis e rápidas, aplicadas em cenas do "aqui e agora", e que também têm a qualidade de presentificar cenas ocorridas no passado.
O Psicodrama Interno é o trabalho terapêutico de imagens visuais internas, realizado a partir de uma maior conscientização corporal, em que se atinge um estado alterado de consciência, onde a pessoa tem condição de se visualizar internamente, como se sonhasse acordado.
Na área clínica o Psicodrama também tem sido aplicado a portadores de deficiências físicas e/ou mentais com objetivos de resgate da auto-estima e da qualidade de vida, dando-lhes uma nova visão de sua auto-limitação, muitas vezes imposta pela própria sociedade, e capacitando-os de modo mais amplo para a vida.
Em Instituição de dependentes químicos , as técnicas psicodramáticas são utilizadas para que o indivíduo perceba a sua relação com a dependência da droga, seu papel na família, adquirindo, assim, maior consciência de seus conflitos.

Ambiente empresarial

Na área empresarial o psicodrama tem sido utilizado como coadjuvante em processos de seleção, através de técnicas como o role-playing ( jogo de papéis ).
Tem-se destacado, também, quando o objetivo é melhorar a relação de equipes , proporcionando melhorias no ambiente de trabalho , fazendo emergir situações conflitantes e possíveis soluções.

Psicodrama e a arte

Na dança espontânea estabelece-se uma conexão entre consciência corporal e expressão de sentimentos inerentes ao movimento, capazes de provocar ressonâncias na platéia, tendo-se o objetivo de unir a técnica e a teoria do Psicodrama à harmonia, ritmo e expressão da dança, aquecendo-se o público para a vivência psicodramática.



Referências
Cushnir, L.(1997) J. L. Moreno – Autobiografia. São Paulo: Ed. Saraiva.
FEBAP, Federação Brasileira de Psicodrama (2011) O que é o Psicodrama.                                Tratto,SP.
Salles, C. & Wolff, J. (1988)  Lições de Psicodrama Introdução ao Pensamento                          de J.L. Moreno  - Ed. Agora.
Moreno, J. L. (1983) Fundamentos do Psicodrama, 1ªed.
            1959, Summus, Vol.20, SP.

Bermudez, R. J. (1970) Introdução ao Psicodrama, Mestre Jou,SP.